Golden Joker

Paolla se emociona ao falar de seu carnaval: 'Mais do que eu esperava'

  
LIVE      

Golden Joker

Paolla se emociona ao falar de seu carnaval: 'Mais do que eu esperava'

Paolla Oliveira se emociona ao falar de seu carnaval: ‘Mais do que eu esperava’

No deste domingo (18), a atriz mostrou na Marquês de Sapucaí. Em entrevista à repórter Tábata Poline, a rainha de bateria da Grande Rio se emocionou ao falar do seu carnaval.

Tábata Poline: “Quando a gente pensa em uma mulher se transformando em onça na Sapucaí, isso também manda um recado para outras mulheres”.

“Nem fala que eu fico com vontade de chorar. Eu não tenho conseguido falar, porque é muito mais do que eu esperava, não consigo... Para mim era só uma diversão, mas tudo que eu falo vem do que eu já passei, de sofrimento, de pessoas próximas, é muito verdadeiro e acho que todo mundo entendeu. Se transforme no bicho que vocês quiserem nessa vida, travem as batalhas que vocês precisarem, para ser a onça de vocês, linda e reluzente na avenida da vida”, disse Paolla.

Veja a reportagem completa abaixo:

Paolla Oliveira enrolada em fios e inspiração em brinquedo: os segredos por trás dos truques das campeãs do carnaval do Rio

Ouça os podcasts do Fantástico

O podcast está disponível no , , , , , e trazendo grandes reportagens, investigações e histórias fascinantes em podcast com o selo de jornalismo do Fantástico: profundidade, contexto e informação. Siga, curta ou assine o no seu tocador de podcasts favorito. Todo domingo tem um episódio novo.

O podcast está disponível no , no , no , no , no , no , na ou no seu aplicativo favorito. Siga, assine e curta o na sua plataforma preferida.

O podcast está disponível no , no , no , no , no , no , na ou no seu aplicativo favorito.

EUA vão propor ao Conselho de Segurança da ONU cessar-fogo em Gaza e oposição à ofensiva de Israel em Rafah, diz agência

Enquanto representantes de vários países --Israel entre eles-- negociam no Egito um cessar-fogo, israelenses anunciam para qualquer momento um ataque a Rafah

Pela primeira vez, os vão propor um texto para uma resolução do Conselho de Segurança da com um pedido de um cessar-fogo na guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas, informou a agência Reuters nesta segunda-feira (19).

A proposta foi divulgada um dia depois que desde o início da guerra, em 7 de outubro de 2023. O Ramadã, um mês sagrado para os muçulmanos, começa em 10 de março.

O Conselho de Segurança da ONU se reúne às 10h desta terça-feira (12h no horário de Brasília) para debater o conflito entre Israel e Hamas na Palestina. Segundo a Reuters, não está claro se o rascunho será votado. Uma autoridade dos EUA disse à agência, sob condição de anonimato, que não há pressa em submeter o texto a uma votação e que os americanos querem ter tempo para negociar.

O conselho tem 15 membros. Para que uma resolução seja aprovada, é preciso que 9 deles votem a favor e que nenhum dos membros permanentes (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China) vete a proposta.

EUA e Israel são considerados aliados históricos. Os EUA chegaram a na guerra:

O primeiro, em outubro do ano passado, no Conselho de Segurança da ONU.O segundo, em dezembro de 2023, em uma .

População civil em Rafah

Cerca de 1 milhão de pessoas estão em Rafah, no sul da Faixa de Gaza. Muitas delas já deixaram suas casas em regiões mais ao norte do território, onde a ação militar se concentra.

O rascunho da proposta de resolução dos EUA diz que que "uma grande operação em Rafah iria resultar em mais danos aos civis e mais deslocamentos, que poderiam ser inclusive em países vizinhos".

O texto afirma ainda que uma operação de Israel em Rafah "teria consequências para a paz e segurança regional (...) e que uma ofensiva grande como essa não deve acontecer nas atuais circunstâncias".

Cessar-fogo

O governo dos EUA vinha se recusado a empregar a expressão cessar-fogo nas resoluções da ONU sobre Israel. No entanto, a expressão consta no rascunho de resolução ao qual a Reuters teve acesso. O presidente Joe Biden tem dito "cessar-fogo" em seus discursos, e afirmou ter tratado do tema com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

No sábado, a Argélia pediu para que na terça-feira haja uma votação em uma resolução que os seus representantes redigiram. Pelo texto argelino, o Conselho de Segurança pediria um cessar-fogo imediato por razões humanitárias.

A embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, já sinalizou que essa proposta de resolução seria vetada porque o texto colocaria em risco as negociações sobre a libertação dos reféns que ainda estão sob controle do Hamas.

Mais itens do rascunho

O rascunho ainda rechaça qualquer ação que implicaria uma redução do território da Faixa de Gaza, inclusive com a criação das chamadas "zonas de tampão", áreas de separação para evitar conflitos, e também a destruição sistemática de infraestrutura civil.

Em dezembro, Israel disse a países árabes da região que queria criar essas "zonas de tampão" dentro do território da Faixa de Gaza para evitar ataques depois do fim da guerra.

Palestinos inspecionam uma casa atingida por um ataque israelense em Rafah — Foto: REUTERS

Ministros do governo de Israel chegaram a falar em estabelecer colônias de israelenses dentro da Faixa de Gaza, semelhantes às que existem na Cisjordânia. O rascunho dos EUA pede para condenar essa iniciativa ou qualquer tentativa de mudar a demografia da Faixa de Gaza.

Guerra entre Israel e o Hamas

"A guerra começou quando combatentes do grupo terrorista Hamas, que controla a Faixa de Gaza, atacaram Israel, em 7 de outubro, mataram 1.200 pessoas e capturaram 253 reféns, de acordo com os registros israelenses. Em retaliação, Israel atacou o Hamas dentro da Faixa de Gaza.

Autoridades de saúde de Gaza, que são controladas pelo próprio Hamas, dizem que mais de 28 mil palestinos morreram.

Entidade para a Transparência corre para colocar fortuna dos políticos online a tempo das eleições
Golden Joker Mapa do site

1234